2020-2021

+INFO



“Cultura e Desenvolvimento: Projetos Culturais em Rede e a Agenda 2030”

A análise da resolução Transformar o nosso mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (Agenda 2030) permite-nos perceber de forma inequívoca que, não obstante a ausência explícita da cultura nas três dimensões do desenvolvimento sustentável e nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e a presença explícita residual da cultura nas 169 metas elencadas no documento e nos 241 indicadores entretanto definidos para aferir o seu cumprimento, a cultura atravessa veementemente toda Agenda 2030, tanto mais que o seu plano de ação está centrado nas pessoas, no planeta, na prosperidade, na paz e nas parcerias.

As discussões sobre o conceito de cultura são amplas e antigas, mas basta convocar a Declaração do México sobre Políticas Culturais, na qual a cultura é vista, num sentido amplo, como o conjunto dos traços distintivos – espirituais, materiais, intelectuais e afetivos – que caraterizam uma sociedade ou grupo social e que engloba as artes, as letras, os modos de vida, os direitos fundamentais do ser humano, os sistemas de valores, as tradições e as crenças, para percebermos que o cumprimento da Agenda 2030 passa, obrigatoriamente, por uma aposta nas questões culturais. A relação entre cultura e desenvolvimento são também recorrentes e revisitando, por exemplo, as conclusões da Conferência de Stockholm e do Congresso de Hangzhou, e obras como Culture and sustainable development: examples of institutional innovation and proposal of a new cultural policy profile, Culture in, for and as Sustainable Development ou Re|pensar as políticas culturais: criatividade para o desenvolvimento 2018, torna-se ainda mais nítida a importância capital da cultura na Agenda 2030. Acresce ainda a publicação, pela UNESCO em novembro de 2019, da publicação Culture | 2030 Indicators que integra um conjunto de indicadores, quantitativos e qualitativos, para aferir a contribuição da cultura para o cumprimento, à escala local e nacional, da Agenda 2030.

Foi este o enquadramento que concorreu para que a equipa do POLObs tenha desenhado a missão 2CN-CLab 2020-2021 em que mais do que problematizar sobre a presença da cultura na Agenda 2030 e sobre a importância da cultura para o desenvolvimento sustentável, pretendemos colocar a tónica na disseminação de práticas de apropriação da Agenda 2030 por parte de organizações do setor cultural sublinhando a importância que o setor cultural pode e deve ter para o cumprimento da Agenda 2030.



Próximas Ações – Next Actions